Como driblar os gastos extras

Como driblar os gastos extras

A dica é saber se livrar de alguns gastos extras que nos atormentam diariamente e os gastos com cartão são os mais recorrentes. Pois temos uma facilidade na hora de fazer compra com cartão, pois não precisamos ter dinheiro no momento da compra, precisamos “apenas” de crédito 🙂

Um belo dia, estamos nós passeando pelo shopping e a cada vitrine ficamos encantados, é um sapato aqui, uma bolsa ali, aquele tênis que eu vivo desejando para iniciar minha prática esportiva, aquela camisa que achei linda, enfim, nesse momento você pensa (ou nem pensa), por que não comprar? Tenho cartão aqui, só vem no próximo mês, quando chegar no vencimento eu me viro.

Ou mais ainda, tenho dinheiro aqui na carteira o suficiente pra comprar esse produto, não vai me fazer falta em nenhum momento. Será mesmo? É neste momento que uma planilha de controle mensal fará a diferença, mostrando se realmente se aquela compra não fará falta no orçamento.

Veja bem, antes de comprar qualquer coisa, faça as seguintes perguntinhas básicas para você mesmo:

– Estou realmente precisando deste produto?
– Não dar pra esperar mais um pouco?
– O meu orçamento suporta esse gasto para o próximo mês?
– Não é melhor eu investir esse dinheiro? Mesmo sendo pouco?

São perguntas básicas, mas necessárias na hora de comprar algo que realmente não estamos necessitando naquele momento.

Outros gastos extras comuns que fazemos é na hora de fazer o supermercado, principalmente quando levamos nossas crianças. Anote e compre apenas o essencial, nada de lotar a dispensa de coisas que, além de não serem muito saudáveis, ainda irão pesar no seu orçamento. Foque na lista e diminua as compras desnecessárias!

Outro dia, numa viagem que fiz com meu esposo à Europa, fiquei encantada com as farmácias de lá, sim as farmácias. Quem já foi à Europa sabe que as farmácias de lá são um sonho para as mulheres, produtos de tudo que é tipo e gostos, para celulite, para rugas, para flacidez, para todos os fins. Enfim, passava em frente, mas me recusava entrar. Foi uma estratégia que criei para fugir dos gastos extras, que na verdade nem estavam no meu planejamento.

Outra loja também que mulher deveria ser proibida de entrar são as lojas de perfumes e maquiagens, nesta eu até entrei, pois tive a missão de comprar 2 perfumes para minha irmã. Como de costume fiquei tentada em levar algum pra mim, mas fiz exatamente as perguntinhas acima, e embora eu estivesse em Paris, centro dos melhores perfumes do mundo, resisti e vi que realmente não seria necessário.

Vocês devem estar achando que ficamos um pouco “mão de vaca” com essa história de controles, não é? O pior que ficamos um pouco mesmo, mas é por um bom motivo, fugir dos gastos extras e equilibrar nossas finanças pessoais.

Quando começamos a colher os frutos de todos esses “sacrifícios”, começamos a ver que não foi tão difícil mudar alguns hábitos e nos sentimos sim, um pouco “mão de vaca” em alguns momentos, mas apenas nos momentos que devemos “vestir a capa” de mão de vaca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami